Blogs

Mantas Alentejanas - o Renascer de uma tradição

14-10-2021

Quem aqui conhece as mantas tradicionais do Alentejo?

Feitas no Alentejo, em Reguengos de Monsaraz, e de forma artesanal em teares manuais, estas mantas conseguiram sobreviver a modernização e globalização a qual assistimos todos os dias.

Graças a persistencia de Mizette Nielsen que gere a Fábrica de Lanificios há cerca de 40 anos, esta manta tradicional não desapareceu e viu até a sua internacionalização.
Até metade da década de 80 as vendas corriam bem, e as mantas estavam presentes um pouco por todo o mundo, no entanto em 1986 com a entrada de Portugal na CEE as vendas caíram a pique e foram tempos bastante complicados pois deixaram de haver encomendas.

Tendo em conta este problema, com a falta de encomendas Mizette Nielson decidiu que este produto era demasiado importante histórica e culturalmente e não deixou que o mesmo desaparecesse. Viu portanto nos tapetes a oportunidade para dar continuidade ao projecto. Com o tempo, aos tapetes juntaram-se os tecidos para revestir pufes, fazer cortinados, apliques para calçado (como por exemplo a marca portuguesa Buenos Aires).

Mala de sra. tradicional                                Sapatos e botas da marca Portuguesa Buenos Aires                              Puffes


Também nesta época a legislação que se aplica a aos turismos rurais financiados, veio obrigar os mesmos a ter produtos locais, e é neste contexto que começam a receber muitos pedidos de orçamentos. Hoje o Hotel L'and Vineyards tem cem tapetes tecidos na fábrica, assim como na Herdade do Esporão.
Este novo renascer deste produto tão icónico veio suscitar a curiosidade de estilistas internacionais nomeadamente Kenzo Takada. O estilista Japonês veio a Reguengos visitar a fábrica e foi nesse momento que retornaram as encomendas internacionais e o reviver desta arte antiga.

 

Tear

Sabia que estas mantas eram utilizadas antigamente pelos pastores no Alentejo para se abrigarem durante o Inverno enquanto andavam no pastoreio? Até aos anos 70 as mantas eram guardadas em caldeias de azeite do ano anterior e secas ao sol para se tornarem impermeáveis, e dessa forma proteger os pastores não só do frio mas também da chuva.

Hoje em dia podemos encontrar estas mantas e os outros produtos que derivaram à venda na Fábrica de Lanificios ou em lojas que vendam produtos tradicionais portugueses.

Deixamos aqui o link da fábrica que poderão consultar para mais informação.

Site da Fábrica de Lanificios

Tags:

mantas, alentejo, tradicoes, kenzotakada, mizettenielson, reguengos, monsaraz, fabricalanificios, artesanato

window.dataLayer = window.dataLayer || []; function gtag(){dataLayer.push(arguments);} gtag("js", new Date()); gtag("config", "G-9WVC47NH9R");